16 de fevereiro de 2009

"Pantha Ta Ethne" *

Ézio Pereira da Silva

A frase acima, que dá título a este artigo, é a forma transliterada de uma expressão grega contida em Mateus 28.19, cujo significado é "todas as nações", onde o termo "ethne" possui o sentido de etnias, povos, raças e não, como alguns usualmente entendem, de nações política ou geograficamente divididas ou organizadas.

Segundo Ralph Winter e o "International Bulletim of Missionary Research", existem cerca de 17 mil dessas nações em todo o mundo, que ainda não foram alcançadas pela mensagem do evangelho. Patrick Johnstone, autor do livro "Batalha Mundial", identifica 12.017 desses povos. De todos os missionários atuando ativamente no mundo hoje, cerca de 87% trabalham com os povos já alcançados; e apenas 13% destes atuam entre as nações não alcançadas, as quais somam aproximadamente 2,5 bilhões de pessoas, que representam metade da população mundial.

Não quero, de maneira alguma, prender-me unicamente a frios dados estatísticos. Mas essa é uma preocupante realidade.

A fim de não deter-me apenas em números, preciso dizer que eu, você e sua igreja, particularmente, somos os únicos responsáveis por essa tão grande quantidade de não evangelizados. Isto porque Deus, que pode e deseja intensamente mudar essa situação, não encontrou, ainda, a chance de fazer isso através de nós.

Para que ele efetue essa mudança utilizando-nos como instrumentos, entendo que devemos adotar cinco necessários e definidos passos para sermos efetivamente canais de Deus. Permita-me compartilhá-los:
1) convocar pessoas comprometidas com Deus e que queiram dedicar suas vidas na divulgação do evangelho em todo o mundo;
2) arrebanhar esses convocados e transmitir-lhes a visão e o sentimento de Deus: como Ele vê e o que Ele sente em relação aos povos em todas as terras;
3) treinar devidamente os que fizerem opção de servir a Deus, preparando-os bíblica, cultural e psicologicamente;
4) enviá-los aos campos missionários. Ou seja, aos povos não alcançados, para que dêem testemunho da Palavra; e,
5) mantê-los lá onde possam realizar o trabalho, sustentando-os em oração, moral e financeiramente, compartilhando ativamente do seu progresso, e também de suas necessidades.

O primeiro desses cinco passos chega ao nosso conhecimento agora. É a convocação para que atendamos e respondamos ao chamado de Deus para nos empenharmos nessa tarefa. É importante que compreendamos isso: não é necessário que tenhamos uma grande estrutura denominacional ou missionária para isso. Não! Nem é tão importante que haja uma contundente e extraordinária revelação do Senhor.

O necessário é que, em nome do Deus Eterno, a partir deste exato momento tomemos a decisão de mudar essa inquietante realidade. A partir daí Deus cuidará do resto.

Se você deseja tomar essa posição, procure sua igreja, seu pastor, junta missionária, secretaria ou Departamento de Missões de sua denominação. Porém, não fique alienado, aguardando que as coisas aconteçam milagrosamente. O milagre já aconteceu na cruz do Calvário. Não fique esperando que um anjo fale com você. Jesus já determinou à sua Igreja a evangelização mundial, de todos os povos, de todas as nações; Panta Ta Ethne.

Permita que o Espírito de Deus tenha livre acesso ao seu coração e mude a sua vida, para que você ajude a mudar a vida do mundo. Ele deseja intensamente transformar essa realidade.

Se isso não fala ao seu íntimo, meu amado, penso que alguma coisa em você e no seu ministério não está em sintonia com Deus e com o seu Espírito. Se você olhar o mundo como Deus olha, ver como Deus vê e sentir o peso que ele sente no coração, sua alma se inclinará para considerar a necessidade das nações: Jesus.

Permitamos que Deus realize o milagre da evangelização mundial através de nossas vidas.
* Obs.: Publiquei este artigo em abril de 1991.