21 de dezembro de 2016

A Mensagem do Natal

O significado da Mensagem do Natal é: Salvação!

Resultado de imagem para pastores de belem 
É que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor - Lucas 2.11.

Isso porque, a finalidade de Jesus descer dos céus e nascer aqui na terra foi a salvação dos seres humanos. Natal, então, tem o sentido e a mensagem de salvação.

Comparando com uma equação matemática, seria então: Natal = Salvação.

Em complemento a isso, compreendemos que a salvação é um termo bem amplo, complexo e com muitas implicações, acessórios, derivados e conseqüências.

Envolve anjos, homens, sistemas de governo, os mundos visível e invisível, a natureza animal e a natureza física, relações humanas, mundo espiritual, mundo físico-natural, seres naturais e espirituais, forças espirituais e naturais, a eternidade passada, o tempo presente e a eternidade futura, mistérios diversos, amor, ódio, traição, mentiras, invejas, perseguições, morte física, espiritual e eterna, crueldade..., etc.

Salvação, no sentido amplo do termo, abrange o espírito, a alma e corpo do ser humano, além de possuir implicações diversas no comportamento e atitudes de cada um de nós.

Com esse entendimento e realidade em vista e, dada a necessidade do momento atual, compartilho abaixo, novamente, a mensagem veiculada no ano passado, com o tema Natal.

*******************

F e l i z  N a t a l !

Ézio Pereira da Silva

Nestes dias, como acontece todos os anos, estas palavras do título acima serão, provavelmente, as mais faladas e ouvidas.

Tradicionalmente, como se faz em todo o mundo chamado cristão, aprendemos assim desde criança e seguimos essa prática que, diz-se, é saudável.

Pois bem! Quero lhe perguntar meu amado irmão e irmã: o que significam elas para você? Ao expressá-las, você o faz tirando do íntimo de sua alma? Desejando realmente para a outra pessoa aquilo que seus lábios estão pronunciando? Ou, apenas, por mera formalidade, um ritual sem muita importância?

O que significa desejar verbalmente para alguém um Feliz Natal? O que é o Natal? Simplesmente uma data em que se comemora o aniversário de Jesus, com a troca de presentes e um consumismo mais acentuado que em outras épocas do ano? 


Medite um pouco comigo, por alguns instantes, imaginando alguns monólogos e diálogos:

- “... eu o vejo todos os dias quando vou à igreja ou em algum outro lugar. Não conheço sua casa, nem mesmo sei onde você mora. Estou alheio aos seus problemas. Nunca o visitei e sequer fiz uma oração individual a Deus em seu favor. Nunca orei com você. Não sei se está passando privações ou provações, se está doente, ou nu, ou necessitado de alguma coisa. Porém, quando chega essa época, eu vejo você e desejo-lhe em simples FELIZ NATAL e o despeço em paz. Com isso, está ótimo! Já cumpri a minha parte! ... E sigo o meu caminho sem maiores atenções com você. FELIZ NATAL... e, pronto! Tudo resolvido!”

- “Pela graça, amor, bondade e misericórdia de Deus tenho um carro que me conduz à igreja, juntamente com a minha família. Dia de chuva. Terminado o culto, saio apressadamente, entro no meu carro, vou embora e... você fica na porta da igreja esperando a chuva passar, Deus sabe quando, para se dirigir ao abrigo tomar o ônibus ou mesmo ir a pé para casa. Casa longe da igreja! Ruas escuras! Perigosas! Mas, seu irmãozinho aqui foi para casa na sua condução própria e nem se importou com você e com suas crianças passando frio e, quem sabe, até com fome e sem dinheiro, enquanto muitos comem suas ceias. Porém..., FELIZ NATAL! Exclamo!”

- “Você recebe em sua casa um mensageiro de Deus. Acolhe-o em seu lar, dá-lhe pão, abrigo e o ajuda em sua caminhada. Ao ver isso, eu fico com inveja e, ciumento, dirijo-lhe palavras grosseiras, acusativas e carregadas de ressentimentos, desprovidas de amor e compreensão. Julgo você pela sua aparência e até pelo zelo que você tem com a obra do Senhor. 
Depois... resolvo tudo com um FELIZ NATAL!”

- “Domingo. Igreja cheia. Culto público. Tenho uma voz até agradável. Canto, toco instrumento, converso, sorrio. Vou até a frente, falo até alguma coisa boa. 
Quarta-feira. Dia de oração e estudo bíblico. Hoje eu não posso ir à igreja sob pena de perder aquele capítulo tão importante da minha novela preferida. O pastor sempre tem falado algumas vezes contra isso, mas eu acho que por não gostar de novela é que ele fala. Tem, ainda, alguns programas tão bons que eu não posso perdê-los."
Depois... FELIZ NATAL! E..., tudo resolvido!"

- "Ah! Também, vai tão pouca gente à igreja hoje que até fico desanimado. Ah! Fica para outro dia! Domingo eu vou. Chega o domingo. São nove horas da manhã; nove e quinze; nove e meia; nove e quarenta. Puxa! Cheguei atrasado! Engraçado! Quando eu ia ao cinema, ao teatro ou ao circo chegava até meia hora antes. Agora...?!!! Ah! Isso também é fanatismo demais! Tem muitos que gostam de ser 'santarrões'! Não gosto disso! Observo as pessoas só porque elas querem ser crentes demais e ficam me importunando, dando palpites. Nãããoo!!! 
Depois... resolvo tudo com um FELIZ NATAL!”

- “Sabe? Eu não tenho tempo para ler a Bíblia. Sou tão ocupado. Cada hora tenho uma coisa para fazer. Mas, pensando bem, como é chato aquele irmão. Só porque ele gosta de leitura acha que é mais sabido que todo mundo! Eu acho que Deus não gosta desses sacrifícios, não! Deus quer é o coração e não esses esforços inúteis!"
Depois... FELIZ NATAL! E..., tudo resolvido!"

- “Engraçado, por que aquela irmã só cumprimenta aquela outra e não liga para mim? Ninguém sabe, mas morro de ciúmes porque elas se dão tão bem. Gostam tanto uma da outra que nem olham para a minha pessoa. Vou fazer tudo para chamar a atenção delas para mim... E assim, vou continuando a viver. 
FELIZ NATAL! E..., tudo bem!"

- “Sabe, não levo demasiadamente a sério as coisas de Deus. Também... tem tempo para tudo! Cada coisa no seu lugar. Ah! Como eu acho engraçado aquela irmã cantar lá na frente! Ela desafina tanto que não posso ficar sem sorrir!
Depois... FELIZ NATAL! E..., tudo resolvido!"

- "Puxa! Como são demorados os cultos! Estou impaciente, embora não tenha prestado atenção que só começou meia hora mais tarde porque eu não tinha chegado ainda. Huummm! Eu não suporto ficar sentado o tempo todo! Gosto tanto de andar pela igreja! Ir lá fora e conversar! Sinto uma sede tremenda quando estou dentro da igreja e gosto muito de visitar o sanitário até chegar o fim do culto".
Depois... FELIZ NATAL! E..., tudo certo!"

- "Olha! O meu esposo é obreiro e eu não preciso ir tanto assim à igreja, não! Quando eu quero saber alguma coisa, pergunto a ele em casa mesmo. Não é assim que ensina a Bíblia? Só gosto de ir quando tem muita gente para que eu possa me distrair, ou então, quando tem festa, para que possa desfilar com as minhas roupas novas e dar os meus palpites autoritários, ofendendo as pessoas.
Depois... FELIZ NATAL! E..., tudo resolvido!"

- “Às vezes, quando a minha esposa quer aceitar algum cargo na igreja, deixo-a sozinha para que se dirija às diversas reuniões. Ela que se desdobre nos seus serviços, cuide das crianças e de mim a tempo certo e hora certa, pegue o ônibus, vá às suas reuniões porque eu não posso levá-la. Ando muito ocupado! Mesmo porque, acho muito improdutivo esse trabalhão todo!
Depois... FELIZ NATAL! E..., tudo tranquilo!"

Realmente, não é este o NATAL que eu esperava. Não é este o NATAL que Jesus quer ver comemorado. Não foi isso que ele ensinou.

Ó Deus! Dê-me atitudes diferentes ou não bastará simplesmente dizer: FELIZ NATAL! 

O Natal que Ele quer é que eu reparta o meu pão com o necessitado, vista o nu, compadeça-me dos sofredores, ame a sua obra, a sua igreja, compartilhe com meus irmãos aquilo que ele tem me dado, que eu sacie a sede dos sedentos e mate a fome dos famintos. 

AME! AME! AME!

E assim..., FELIZ NATAL!

Só assim!